Em certos momentos acho ótimo estar errado, e a minha avaliação quanto ao prognóstico da Passaredo alguns anos atrás foi um destes: estava convencido de que a empresa não conseguiria sair da recuperação judicial em que entrara em 2014, e acabaria no mesmo lugar em que hoje repousam nomes como TABA, Votec, e Rio Sul. Mas, contrariando minhas expectativas, a revista IstoÉ Dinheiro (com informações do Broadcast/Estadão Conteúdo) noticiou que a Justiça determina fim da recuperação judicial da Passaredo, e acrescenta:

Ainda controlador da Passaredo, o empresário José Luiz Felício Filho disse ao Broadcast que a decisão irá permitir ampliar a malha aérea e retomar operações reduzidas nos últimos anos. Segundo ele, a empresa, com sede e base operacional em Ribeirão Preto (SP), negocia a abertura de voos para as cidades mineiras de Governador Valadares, Ipatinga e Uberaba até o final do ano.

Ou seja: a Passaredo não só não quebrou, como tem perspectiva de crescimento! Ótima notícia para a empregabilidade de pilotos!