Repare na foto que ilustra este post: trata-se de uma das primeiras de uma sequência que aparece neste artigo do blog da AOPA. Depois de subir o trem de pouso a milímetros do solo, o piloto recolhe os flaps e começa a curvar a poucos pés de altitude, para enfim emendar com uma ‘curva na faca’ (tudo bem, o autor fala em 80° de inclinação) sobre uma área residencial. Ok, não aconteceu acidente algum e “todos passam bem”, como a imprensa ‘marronzista’ costuma dizer quando um avião de linha aérea executa uma arremetida… Mas, para quê fazer isso?

Bem, tudo isso aconteceu na mais recente edição da NBAA em Las Vegas, com diversos pilotos em solo observando, aí já viu, né? Baixou o “Caboclo Aparecido” no comando e, apesar dos riscos da brincadeira ser filmada e ir parar na caixa de correio de um inspetor da FAA (onde de fato deve ter ido, aliás – muito embora o autor deste artigo tenha tomado o cuidado de esconder a matrícula), o exibicionismo aeronáutico falou mais alto. Como se fazer tudo isso fosse algo que um aviador devesse se orgulhar, né?