IS 00-002E

A ANAC publicou uma nova versão da regulamentação sobre "padrões para a realização de exames de proficiência de pilotos" com modificações importantes para escolas, checadores e pilotos candidatos à obtenção e revalidação de habilitações IFR em aeronaves multimotoras - seção IV OPERAÇÕES ESPECÍFICAS/IV.1 VOO POR INSTRUMENTOS do APÊNDICE B - DESCRIÇÃO DOS ELEMENTOS DE COMPETÊNCIA.

As modificações estão nos seguintes itens:

  • CIR.4: "Realizar um procedimento de saída IFR com falha de motor" - Inclusão da inaplicabilidade para aeronaves CLASSE, e da seguinte restrição para aeronaves “TIPO”:

(...) a execução das manobras fica a critério do examinador, caso este considere que o cenário operacional no qual o exame específico esteja inserido indique que as manobras possam ser realizadas com um nível de  segurança operacional aceitável. Destaca-se que, nestes casos, a simulação da situação de emergência não poderá ser iniciada em altitude inferior à 1000 ft. Considera-se cumprido este item caso a simulação ocorra em qualquer fase de uma SID (carta de saída normalizada – voo por instrumentos).

  • CIR.8:"Realizar uma aproximação por instrumentos com falha de motor (somente aeronaves multimotoras)" - Define a manobra como compulsória, com nova redação nos seguintes incisos:

d) ao atingir o MAPT, iniciar uma aproximação perdida monomotora (opcional para as aeronaves CLASSE), seguindo o procedimento publicado e observando atentamente as velocidades e a configuração da aeronave.

e) a manobra terá seu grau de execução considerado satisfatório quando o candidato for capaz de executar a trajetória prevista na carta de aproximação, de modo estabilizado, atingindo a MDA/DA em condições para a realização do pouso seguro;

f) as manobras simuladas de operação monomotor não demandam o corte real de motor, devendo ser realizadas mediante a manutenção do motor inoperante em potência mínima (“idle”), sem a necessidade de embandeiramento, no caso de aeronaves propelidas a hélices.