O cmte Aaron S, um piloto e instrutor de voo australiano, publicou recentemente um interessante artigo no Linked In sobre o "apagão de pilotos" mundial - Pilot Shortage? What do new pilots think! -, cujas principais considerações seguem abaixo:

  1. Não existe um "apagão de pilotos" genérico no mercado, mas sim um "apagão de pilotos qualificados" ("Senior Pilot Shortage"). Isso, aliás, já está sendo verificado no Brasil.
  2. Uma das saídas que as companhias e a indústria estão trabalhando é na certificação de aviões de linha aérea 'single pilot' (o que, na minha opinião, é uma saída horrorosa, pois será um entrave à formação de futuros comandantes - sem contar que, se há pilotos com pouca experiência de sobra, por que não colocá-los na direita?)
  3. Outra saída, apresentada no vídeo incorporado ao artigo, é o estímulo ao público feminino para ingressar na carreira de aviadora (pode funcionar no longo prazo, mas não resolve o problema imediatamente).
  4. Finalmente, também no vídeo citado, há uma referência aos programas internos de formação de pilotos - os programa de cadetes. No caso, o exemplo citado é da Qantas, mas esta é uma tendência global, na verdade.

 E para quem gosta de 'numbers & figures', o artigo traz o gráfico abaixo, com a necessidade de pilotos para os próximos 20 anos por região (o autor não cita a fonte):