De acordo com esta matéria da Aerotime News Hub, parece que sim. A OSM Aviation, que é um conglomerado norueguês gigatesco que atua na área de Recursos Humanos para aviação (inclusive em instrução de pilotos), adquiriu 60 unidades do eFlyer 2, o treinador elétrico da Bye Aerospace – o que aparece no vídeo acima. O custo operacional cairá de US$110 para US$20 por hora de voo, de acordo com a empresa, sem contar os ganhos ambientais. Ao que parece, faz sentido, não?