Aconteceu na Austrália*: um piloto em voo solo de navegação fica 40 min. desacordado durante a missão devido a um mal estar gerado por restrição de sono, má alimentação, e convalescença de um resfriado. A história inteira pode ser lida nessa reportagem do UOL e no site da ATSB (O CENIPA australiano).

*Obs.: No Brasil, algo assim seria quase impossível de acontecer, dado a raridade com que se voa solo na fase de instrução em nosso país.

A questão é que esse tipo de ocorrência poderia ser facilmente evitada com o IMSAFE checklist. Nosso colunista Jan Hesse já ensinou diversas vezes, mas não custa repetir – segue abaixo parte do texto do Safety Tips #14:

 IMSAFE checklist:

  • Ilness – piloto livre de sintomas de doenças. A medicina aeroespacial já cansou de nos avisar que alguns sintomas, por mais inofensivos que pareçam aqui embaixo, têm seus efeitos potencializados lá em cima.
  • Medication – o uso de remédios deve ser cuidadosamente avaliado antes de ser combinado com voo. As drogas também têm seu efeito potencializado com a altitude.
  • Stress – já conversamos bastante sobre o gerenciamento de stress. Quando for voar, o piloto deve deixar suas preocupações para fora da porta da aeronave.
  • Alcohol – cada país tem a sua legislação específica. Recomenda-se cortar o uso entre oito e 12 horas antes de um voo.
  • Fatigue – sono em dia e corpo descansado, com repouso suficiente.
  • Eating – piloto bem alimentado e hidratado para o voo. Alguns alimentos podem ser pesados e causar desconforto ou indisposição. A falta de alimentos também contribui para uma diminuição no nível de atenção.