Pois é, pessoal… Dando continuidade ao que falamos aqui, informo que, apesar de todo o esforço da comunidade da aviação geral, a redução do ICMS para os combustíveis de aviação (AVGAS e QAV) no Estado de São Paulo ficará restrito à linha aérea – vide comunicado da ABEAR. Ou seja: a hora de voo no aeroclube continuará cara, o custo do operador da aviação agrícola continuará elevado, e até o combalido setor de táxi aéreo – que, a propósito, também é um serviço de transporte público, assim como a linha aérea! – continuará tendo que pagar 1/4 do valor do litro do combustível em impostos estaduais. Nem os biocombustíveis escaparam da sanha arrecadatória do Governo Dória, que reformulou sua própria proposta para deixar de fora até o que originalmente estava incluído na redução tributária – os operadores que utilizam QAV.

Mas não vamos desistir desta luta: começa hoje a construção de um novo projeto para redução do ICMS para os combustíveis utilizadois pela aviação geral paulista. Aguardem mais informações para breve!