Complementando o excelente artigo Presidente Bolsonaro: sem a aviação geral nunca haverá um caribe brasileiro! publicado hoje pela AOPA Brasil, gostaria de provocar a discussão de quantos “Caribes” a aviação geral poderia gerar no Brasil. Só no litoral nordestino devemos ter uma dúzia de locais tão espetaculares quanto a região de Angra/Parati, fora pelo menos uns três em Santa Catarina e restante da região Sul. E o Pantanal? E a Amazônia? E as cidades ao longo do rio São Francisco? E as montanhas mineiras? Os pampas gaúchos? Bem… Acho que deu para entender, né?

De acordo com esta matéria de 2017 de um site local, a aviação geral gera US$387milhões anualmente para o Caribe e US$100milhões para Saint Maarten. Maus caros, isto beira os R$2bi/ano! Imaginem agora o quanto a aviação geral pode gerar para o Brasil…