Quando uma aeronave aumenta ou diminui sua frota em uma aeronave, o que isso significa em termos de empregabilidade de tripulantes? Quantos pilotos e quantos comissários adicionais (ou a menos) são necessários, em média?

O pessoal da aviação tem um “número mágico” que varia de empresa para empresa, mas obter o valor exato de pilotos por aeronave ou comissários por aeronave sempre foi tarefa complicada para se fazer com os números oficiais divulgados pela ANAC. Porém, com a publicação do relatório Panorama 2018 pela ABEAR, foi possível saber que a média nacional de tripulantes por aeronave (dados referentes a 2018) foi de:

  • 14,1 pilotos/aeronave; e
  • 23,8 comissários/aeronave.

Também dá para saber a média de tripulantes por aeronave em cada companhia (a seguir, as quatro mais importantes em 2018):

Avianca:

  • 14,6 pilotos/aeronave; e
  • 23,5 comissários/aeronave.

Azul:

  • 14,3 pilotos/aeronave; e
  • 23,8 comissários/aeronave.

Gol:

  • 12,8 pilotos/aeronave; e
  • 24,3 comissários/aeronave.

Latam: 

  • 14,8 pilotos/aeronave; e
  • 34,1 comissários/aeronave.